Sabemos que o título parece um pouco receita de bolo, mas quem disse que as vezes a gente não precisa delas? Colaboração tem um pouco de bom-senso, mas técnica por vezes falta. Como é que a gente pode colaborar em tempos de pandemia? Vamos nos deter no mais fácil: fazer quase nada. Sim, é isso mesmo. Até porque, vamos ser realistas, quem é que está dando conta de fazer muita coisa? Quase ninguém. Não está fácil para ninguém. Então o jeito é colaborar com o que é possível.

Caso você tenha lido até aqui, deve estar se perguntando, certo, mas do que elas estão falando? Estou falando de reconhecimento no trabalho (ou fora dele). Como estamos no 1º de maio vamos nos ater ao contexto de trabalho. Reconhecimento no trabalho é quando se valoriza e se dá atenção para a contribuição das pessoas. É uma forma de reforçar comportamentos desejáveis demonstrados pelo empregado (logo) depois que esses comportamentos ocorrem.

Há pelo menos 4 formas de fazer reconhecimento no trabalho: reconhecer a pessoa, reconhecer os resultados e seus feitos, a prática no trabalho e a dedicação no trabalho. Mas, estas formas de reconhecimento não são apenas responsabilidade do chefe, são obrigatoriamente dele, mas também dos colegas, dos subordinados, dos clientes ou usuários de um serviço. Reconhecimento não é troca social, não é “fazer favor” e não vai substituir a necessidade de suporte organizacional. É valorizar a contribuição e a dedicação das pessoas.

As práticas de reconhecimento infelizmente são comumente limitadas a um modelo de controle. Como é possível reconhecer: escrever os nomes dos funcionários nos correios internos, cartas de elogio (se você nunca fez isso, experimente e veja como é excepcional!), apreciação verbal, dar um descanso extra, elogios em reuniões, agradecimentos públicos e nominais. Muitas vezes o benefício de um reconhecimento não é apenas benéfico para aquele que recebeu, mas pelos demais que veem e compartilham o processo.

Há estudos mostrando que é melhor dar reconhecimento do que incentivos pecuniários/financeiros. Também há evidências que o reconhecimento diminui as emoções negativas ou comportamentos indesejáveis como a contrapodutividade no trabalho. O reconhecimento é capaz de aumentar as emoções positivas, o significado do trabalho, é preventivo de adoecimento mental, promove realização no trabalho, aumenta comportamentos desejáveis como desempenho competente e serve como agente de desenvolvimento pessoal. Portanto, coloque práticas de reconhecimento como rotina!

Em comemoração aos 3 anos de existência do nosso Núcleo de Pesquisa Psicossocial em Processos Laborais Sustentáveis (http://www.prolabsustentavel.com.br/) decidimos fazer um reconhecimento à Núria Tordera (Maria Núria Tordera Santamatilde) por toda sua contribuição ao nosso crescimento. Núria é uma das autoras que contribui para o aperfeiçoamento do Belasos, modelo teórico que preconiza a relação sustentável entre desempenho e bem-estar e que orienta as ações do nosso laboratório. Desde que recebemos financiamento para o nosso primeiro projeto, Núria gentilmente nos cede seu tempo com revisões, sugestões e diversos tipos de orientações na aplicação do modelo. O ProLab tem diversos trabalhos onde se pode perceber as suas mãos. Na dimensão pessoal, Núria é uma pessoa fantástica, alguém que transcendeu o mundo dos mortais, desafia o vocabulário descrevê-la. Tem um currículo com diversos artigos e capítulos de livros publicados em diferentes idiomas (e.g. inglês, espanhol, valenciano e português), quase duas mil citações, várias orientações de mestrado e doutorado, coordenações de mestrados e vários outros feitos. É alguém brilhante no que faz, sempre tem uma ideia fantástica. É uma pessoa culta, correta, coerente, sem contar que sempre ajuda, revê, relê, responde. Além de mãe de duas crianças muito lindas! Núria, nosso muito obrigado. Por tudo isso, nós te consideramos madrinha do nosso laboratório.

Amalia Pérez-Nebra e Fabiana Queiroga

P.S.1: Agradecemos à Luiza Monica Assis da Silva que sempre nos auxilia com os textos.

P.S.2: Nós fizemos uma pesquisa sobre reconhecimento de tarefa no trabalho e suas repercussões longitudinais, se tiver interesse, está aqui, o acesso é livre:

Buso, I. C., Pérez-Nebra, A. R., Tordera, N., & Kohlsdorf, M. (2019). Work redesing: Intervention based on the Social Information Processing Approach. Revista Psicologia, Organizações e Trabalho, 19(4), 818–826. https://doi.org/10.17652/rpot/2019.4.17405

Obrigada a todos!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *